domingo, 22 de janeiro de 2012

...

Inevitavelmente,
a frieza que me congela
lançada pelo olhar que amo
me faz pensar que existe o fim.

Incontestavelmente,
percebo em mim um novo sofrer
que não tinha identificado
quando resisto à boa nova.

Indiferentemente,
o sofrer de agora baseia-se em não existir o sofrer antigo.
Aquele que corroía, doía, feria,
mas te mantinha dentro de mim.

terça-feira, 31 de maio de 2011

Sinto falta de explodir,
sentir o fogo e depois acalmar.
Sinto falta de sofrer pelas brigas.
Elas existiam porque você existia.

Já não te tenho como motivo de sofrer,
nem de rir.
Já não te tenho pra incentivar,
pra amar, como nunca amei.
Já nem te tenho.

domingo, 29 de maio de 2011

Saberá sentir o que te comove,
o que te faz rir.
Saberá distinguir o certo do errado,
o bom do ruim.

Desabafar faz parte do extravasar.
Ninguém suporta o acúmulo,
ninguém confia em suas dúvidas,
ninguém supera seus conceitos.
Seus meros conceitos que te rotulam.

sábado, 7 de maio de 2011

Amar é sério !

Amizades permanecem, então !
O que é de verdade sempre fica ou retorna,
os incertos amores que voam com qualquer assopro já não posso justificar.
Talvez aquele papo de viver o momento não seja tão real.
Não podemos jogar ao vento tantos "eu te amo".
Não podemos jurar amor a outras pessoas, quando na verdade estamos amando apenas o momento.
Devemos entender que amar é sério. Amar é forte. Amor ilude. Amor traz esperança.

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Conhecer-te-ei

E a falta que tua voz me faz,
constante ausência ao meu lado.
Marcadas no tempo de nossas saudades,
as vontades de encontrar-te um dia,
e que faças parte de meu dia-a-dia.

Sorria, meu bem.
Teu sorriso é tão belo para guardá-lo.
Me conheças enfim, para notar o quanto te quero bem.
E que eu só confirme em ti as crenças que já tenho:
A doçura natural
de um olhar normal, sem pefeições,
Mas que guarde na alma o dom de conquistar,
que me faz ficar aqui,
perto da gente.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Amnésia

Não quero ser hipócrita em dizer que não pularia em teus braços num suposto oferecido.
Não quero te julgar nunca, nem pelo fato de nunca ter me amado.
Não posso te culpar por sermos um pouco iguais e tão diferentes.
Só quero respostas da vida. Essa sim me deve grandes explicações.
Só quero um colo que me ampare da sua ausência e uma boca que seja a versão ao menos pirata da tua.
Quero um coração pra chamar de meu e me pertencer de verdade. Só queria que fosse comigo como é com todos.
Já venho esquecendo o som de tua voz. Te ouvi hoje. Não reconheci.

sábado, 25 de dezembro de 2010

Boas Feestas

Esse ano foi diferente.
Eu não beijei muito, briguei um tanto.
Beijei aquela boca e depois repudiei aquela boca.
Me afastei dela.

Conheci pessoas maravilhosas, me aproximei de algumas maravilhosas também.
Senti saudades, mas encontrei conforto.
Chorei, mas tinha ombros à minha disposição.
Corrri pra bem longe, pra aquele ponto de chegada, que dessa vez existia
e não era uma correria em vão.

Amei, incondicionalmente.
Já não amo, sou triste, mas alegre.
Triiste por saber que tanto foi em vão,
Alegre, por saber que nem tudo foi em vão!

Que esse Natal seja o nascimento de um novo eu.
Um "eu" feliz completo, e que proporcione felicidades .
Que eu não perca meus amigos conquistados.
Que eu não me apegue jamais ao que um dia não me fez bem.
Que eu poossa ser feliz.

Que haja em mim um Natal!

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Anestesiia

Angustiado, coração disparado,
já não sei quanto tempo mais eu aguento.
Agitado, no compasso da dança,
não deixando de lado o momento,
E sofrendo, e cantando, e pulando,
Sentido o que já não sentia,
passando o efeito dessa anestesia,
que me alucinava e me excluia do mundo,
que me fazia sentir inseguro, esquecido, lembrado apenas por você
que hoje já me esqueceu.
Tranquilidade, já to te esquecendo também.
Já não lembro daquele teu cheiro natural e bom,
já não sei de cor o desenho de tua mão
e se Deus quiser, daqui a pouco esquecerei do som da tua voz.

sábado, 11 de dezembro de 2010

Triinta

Ainda são 21 anos, 24 horas e 365 diias.
Ainda são 06 horários, 08 horas de trabalho e 02 de almoço.
Ainda são 07 irmãos, 01 pai e uma mãe.
Ainda são 4 anos de curso, 15 minutos de viagem e 3 reais o mototáxi
Já não são tão poucos os amiigos,
Já tenho 30
30 que vem de 3, que vem de 3°, que vem do melhor!
30 almas compatíveis à minha.
30 vozes que nunca me cansarei e que sentirei saudade.
E de repente, o 30 se fez constante, presente e agora se ausenta.
Se ausenta no diia, na semana, mas nunca daqui e de lá.
Vou até lá, trazê-los pra cá....
Eis que surge o 30, meu número da Sorte!


PS: Uma homenagem aos melhores!

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Murmuro pesado,
descanso na mente.
Quem sente já não se conhece.

Alívio profundo,
certeza confirmada
Que invada o mundo a verdade.

Confiança, segurança, fé,
me restaram meu trevo e algumas poucas estrelas.